Seu Navegador não tem suporte a esse JavaScript!
Calendário da Prefeitura
< Novembro de 2018 >
D S T Q Q S S
1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30

A ORIGEM
Gavião Peixoto tem origem no início do século. Criado como núcleo colonial em 12 de janeiro de 1907. A partir daí o governador do Estado implantou uma política de interiorização habitacional, e foi criado o projeto de Nova Europa, Nova Pauliceia e Gavião Peixoto.

FUNDAÇÃO DO POVOADO
O Decreto de criação da cidade foi assinado em 12 de janeiro de 1907. As terras pertenciam a Sesmaria de Cambuhy, cujo proprietário era o Conselheiro Bernardo Avelino Gavião Peixoto. Em sua homenagem, o núcleo formado às margens do Rio Jacaré-Guaçu, recebeu seu nome. Depois veio a ferrovia, por meio da estrada de ferro Douradense, útil para o escoamento da produção e para o transporte de pessoas e cargas. A usina hidrelétrica, construída pela Companhia de Força e Luz de Jaú, começou a ser formada em 1908. Os operários ficavam alojados no local onde é hoje a praça da cidade. Com a Usina, interesses econômicos trouxeram novos habitantes para Gavião Peixoto. Hoje, pertencendo a CPFL, a Usina ainda fornece energia, por meio de seus geradores originais importados da Inglaterra. Muitos russos vieram para a cidade na época da Revolução Russa. Com a febre amarela, essa colônia russa foi praticamente dizimada. Hoje, resta apenas um cemitério no bairro rural de Nova Paulicéia. A ferrovia foi desativada em 1969, e a cidade só volta a ter acesso fácil às cidades da região, por meio das rodovias (SP-331 e Rodovia Nelson Barbieri, que liga Gavião Peixoto a Araraquara). O fim da estrada de ferro provocou um declínio na economia do local, agravado com a quebra na lavoura do algodão. A cultura de laranja responde por 53% da economia e a cana-de-açúcar por mais 38%. No caso da laranja quatro empresas dominam o setor: Fischer, Cutrale, Marchesan e Maruiama. Uma nova fase na economia de Gavião Peixoto está para começar, o município foi escolhido para ser sede da segunda fábrica da Embraer.

CRIAÇÃO DO DISTRITO
Em 31 de outubro de 1912, através do Decreto Lei Estadual nº 1328, o povoado é elevado a categoria de Distrito, com a denominação de Nova Paulicéia, com sede no núcleo colonial de mesmo nome, no município de Araraquara.
Por força da Lei nº 1993, de 05 de dezembro de 1924, transfere a sede do Distrito para o povoado de Gavião Peixoto, assumindo o Distrito a esta denominação. 

CRIAÇÃO E EMANCIPAÇÃO DO MUNICÍPIO
Em 27 de dezembro de 1995, através do Decreto Lei estadual nº 9330, o Distrito é elevado à categoria de Município, com a denominação de Gavião Peixoto, desmembrado do município de Araraquara. Sua instalação verificou se em 01 de janeiro de 1997. 

A VOCAÇÃO PARA O DESAFIO
As mudanças, todas elas causam reações extremadas, a favor ou contra. Mas a ousadia de mudar e a coragem de enfrentar desafios impedem a estagnação e conduzem a novos caminhos. E assim foi, no remoto ano de 1917, quando o coronel José Procópio de Araújo Ferraz, apesar da estranheza que causou, quis transformar uma pequena vila num centro produtor de seringueira, cultura nova, estranha e completamente diferente do perfil agrícola da região. Em sua iniciativa pioneira, conseguiu formar um seringal de 40 mil arvores, multiplicando as 25 mudas que obteve a partir das primeiras sementes de “hevea brasiliensis” que recebeu. Com isso, no ano de 1930, o agricultor José Procópio, já era dono de nada menos do que um milhão de mudas para fornecer aos interessados. Não é difícil imaginar a série de dificuldades e incompreensões que ele encontrou, pois essa nova atividade desafiava abertamente muitos interesses do capital internacional. Mas o tempo provou que ele tinha razão: a seringueira espalhou e hoje, é uma das principais agriculturas do Estado. Pioneirismo e  desejo de mudança, à coragem para enfrentar novos desafios marcam a história de Gavião Peixoto, do inicio da formação do povoado até a criação do município. Aliás, o nome dado ao povoado, e que permanece até hoje, é uma homenagem ao CONSELHEIRO GAVIÃO PEIXOTO, dono das terras onde o núcleo urbano foi formado. Criado como núcleo colonial em 12 de janeiro de 1907, pelo Decreto 1.432, Gavião Peixoto passou a ser sede do distrito de Nova Paulicéia, pela Lei 1.328, de 31 de outubro de 1912, que criou aquele distrito no município de Araraquara. Mas Gavião Peixoto cresceu rápido, tão rápido que, em 1924, através da Lei 1.993, de 05 de dezembro, é para lá transferida à sede do distrito, que assume, então, a denominação de Gavião Peixoto. Com o passar do tempo, o desejo de mudança foi novamente despertado naquela comunidade que se ressentia da falta de investimentos no distrito por parte do município sede: as melhorias reivindicadas nunca chegavam.  Além disso, a distância entre a sede e o distrito complicava muito a vida de seus habitantes, não só para a solução de problemas do dia a dia, atendimento de doentes, etc..., mas também para estabelecer contato com o prefeito e vereadores. A carência era tanta que a população de Gavião Peixoto teve que comprar a primeira ambulância para o distrito, em 1989, sob a coordenação da Sociedade de Amigos de Gavião Peixoto, cujo papel na luta pela emancipação do distrito, foi fundamental para sua vitória. Depois de lançar a ideia da emancipação, prontamente recepcionada pela comunidade, a Sociedade de Amigos de Gavião Peixoto, então presidida pelo senhor Carlos Procópio de Araújo Ferraz, e sob a presidência de honra de Acylino Marcondes Rezende, procurou-me na Assembleia Legislativa para formalizar o pedido de criação do município, em 1992. Daquela data até a promulgação da Lei que criou o Município de Gavião Peixoto, participaram, também, ativamente desta luta, os senhores Walter Antônio Laurenti e Clóvis Dal Ri, que, juntamente com o Carlos Procópio, sua esposa Célia e  Acylino,estavam sempre presentes na Assembleia, buscando apoios e acompanhando cada passo pela aprovação do processo de emancipação. Além da plantação de seringueira, a economia de Gavião Peixoto é baseada na agricultura, com destaque para a produção de cítricos, cana, uva, e também na criação de gado. Nas proximidades da cidade está instalada a usina hidrelétrica de Gavião Peixoto, de propriedade da CPFL, que foi construída em 1910.Não há quem duvide que a emancipação foi favorável para a comunidade de Gavião Peixoto que, assim como seu pioneiro, tem vocação para o desafio e para a busca de novos caminhos. 
Os Primeiros Representantes – eleitos em 1996
PREFEITO MUNICIPAL: Alexandre Marucci Bastos, casado com Flávia Piccolo.
VICE-PREFEITO: Antônio Miguel Gomes
CÂMARA MUNICIPAL: Vereadores – Walter Antônio Laurenti, Clovis Dal Ri, Geraldo Sabino Lopes, Jairo Barsaglini, ArleyFagnani, Eleutério Camurre Martins, José Antônio Dias, Jane Angélica Gulla e Ronivaldo Sampaio Fratuci.
ESTE TEXTO É DE AUTORIA DO DEPUTADO EDINHO ARAÚJO, AUTOR DA LEI 651/90 DAS EMANCIPAÇÕES.
Gentílico: 
Gavionense